A Rastreabilidade da carne (RFID), representa a capacidade de recuperação segura do histórico ou da localização de itens em toda a cadeia produtiva da carne. Além de permitir, ao governo e órgãos de fiscalização da carne, o acompanhamento de origem-destino das mercadorias. Essa tecnologia melhora a eficiência na gestão dos processos operacionais, uma vez que permite a troca e o gerenciamento de informações entre todos os elos da cadeia de suprimentos, até que o produto chegue ao consumidor. Esta é uma das exigências da RDC 24/2015, uma vez que, a partir da RDC, todas as empresas da cadeia produtiva deverão manter registros que identifiquem as origens dos produtos recebidos e o destino dos produtos distribuídos.  

 WELCOSS-iMeat pode trabalhar simultâneamente com diferentes tecnologias e etiquetas inteligentes baseadas em padrões ANVISA (RDC/2015) e globais do sistema GS1 para EPC, RFID, Datamatrix, e/ou Beacons/IoT (Internet of Things), quando aplicável. 

 

WELCOSS-iMeatTM pode trabalhar de forma independente (stand-alone) ou integrada a diferentes sistemas de gestão empresarial como SAP, Oracle, TOTVS, Microsoft, Legados e/ou Sistemas Especialistas em geral, incluindo integração de sistemas e tecnologias de campo, como o SISBOV, no Brasil.

A importância da rastreabilidade e padronização: Atualmente consumidores do mundo inteiro questionam se o alimento que ele está adquirindo é seguro e se contém o que a embalagem informa. Nessa linha, temos desenvolvido e aperfeiçoado, nos últimos 10 anos, soluções inteligentes para rastreabilidade e controle serializado de produtos da cadeia alimentar, incluindo na cadeia produtiva da carne e derivados. Com base nessa última década de experiência, desenvolveu suas soluções em aderência ao padrão global de rastreabilidade (GTS - Global Traceability Standard) e pretende torná-las referências para empresas que exigem algum tipo de rastreabilidade. O GTS permite a adoção da rastreabilidade em uma escala global, tanto para pequenas como para grandes organizações, por toda a cadeia de suprimentos, indiferentemente da quantidade de empresas envolvidas e das tecnologias escolhidas (sitema UPC ou EPC, por exemplo). O Padrão Global de Rastreabilidade GS1 é complementar a outras normas internacionais como as da ISO, Global Food Safety Initiative (GFSI), do CIES, Global Food Standard, do British Retail Consortium, Food Marketing Institute, do Global Gap, ou demais certificações para alimentos orgânicos, entre outros.

 

Assim, a COSS auxilia executivos, empresas e empresários na transformação e inovação dos processos gerenciais da cadeia alimentar, para atenderem as exigências da indústria da carne, alimentos orgânicos e alimentos em geral, buscando construir um sistema de gestão seguro e de qualidade, mais integrado e eficiente junto aos processos produtivos, logísticos e comerciais, globalmente.

 

Rastreabilidade & Visibilidade na cadeia produtiva da Carne, com padrões GS1 e suas múltiplas aplicações:

  

WELCOSS-iMeat [PDF]                    WELCOSS-Mídia [NOTÍCIA]        WELCOSS-iMeat (Dinheiro Rural)