O Fim Das Filas Nos Caixas De Supermercado

 

Essa é uma das facilidades de uma Etiqueta Eletrônica, desenvolvida por uma empresa de São Carlos, interior de São Paulo.

 

 

Os produtos são registrados no sistema simultaneamente à distância, o que economiza tempo.

Fazer compras no supermercado é comum na vida de qualquer família. E ficar esperando na fila do caixa, também.

A principal reclamação dos consumidores é a demora na hora de registrar cada produto escolhido. Um tempo desperdiçado na “boca do caixa”.

Para diminuir o tempo nos supermercados, uma nova tecnologia vem sendo desenvolvida no interior de São Paulo, por meio de uma Etiqueta Inteligente em cada produto, o consumidor vai poder passar pelo caixa com o carrinho cheio e só parar para fazer o pagamento.

É assim mesmo que funciona.

O consumidor simplesmente chega no caixa e faz o pagamento.

As etiquetas possuem um microchip, do tamanho de uma cabeça de alfinete, e carrega diversas informações do produto. Ele é identificado pelo receptor no caixa a uma distancia de até 12 metros.

Um sistema desenvolvido há 2 anos, por uma empresa de São Carlos, interior de São Paulo.

“A Etiqueta funciona com o princípio do microchip e uma antena acoplada ou laminada sobre um material plástico, e a partir daí ela pode ser aplicada industrialmente em qualquer tipo de produto. Ela pode agir nos mais diversos segmentos de indústria. Em particular podemos citar a indústria de varejo ou supermercados, lojas, atacados. A industria de bens de consumo, que são os fabricantes dos produtos de consumo como alimentos, higiêne e saúde, limpeza, tabaco, eletro-eletrônicos. Pode ser aplicada na indústria automotiva, médica-hospitalar, hoteleira, papel, celulose, mineração, metalurgia, enfim, nos mais diversos segmentos de industria existe uma etiqueta com características específicas para ser aplicada nestes produtos.” Diz Luis Carlos Colella Ferro (diretor e fundador da COSS Consulting – empresa responsável pelo sistema).

O sistema é baseado em uma tecnologia de codificação de informações criada pelos ingleses na Segunda Guerra Mundial. Depois de aperfeiçoamentos, diversas empresas passaram a usar esta tecnologia para gerenciar estoques.

As Etiquetas Inteligentes vão substituir os velhos, e agora ultrapassados, códigos-de-barra.

“Códigos-de-barras tem a limitação na quantidade de informações. Datando ai apenas algumas informações como data de validade, data de expiração do produto ou local de fabricação. O código EPC utilizando a etiqueta inteligente, além dessas informações, podem ser inseridas uma série de outras informações.” – diz Ferro.

Fonte: Record / Record News Paulista